Dor nas costas em crianças

A dor nas costas em crianças acontece comumente por dores musculares; mas, pode também indicar um distúrbio mais grave, diferente das dores na coluna sentidas por um adulto. Os casos que requerem maior atenção envolvem pacientes com menos de 4 anos ou criança e adolescentes de qualquer idade que sentem dores nas costas acompanhadas de:

  • Febre ou perda de peso;
  • Fraqueza ou dormência nas costas;
  • Dificuldade para andar;
  • Dor que se espalha para uma ou ambas as pernas;
  • Problemas intestinais ou da bexiga;
  • Dor que impede a criança de dormir.
  • Dor que mantém a criança agitada.

As causas mais graves de dores nas costas necessitam de um diagnóstico e tratamento precoce para não se agravarem. Caso as dores do seu filho persistam por vários dias ou se agravarem, procure ajuda médica.

Causas comuns de dor nas costas em crianças

Distensão muscular

Frequentemente, as dores em crianças e adolescentes são causadas por distensões musculares e tensões em quedas, prática de algum esporte, brincadeiras, entre outras atividades de impacto. Esse tipo de dor pode ser tratada com repouso, medicamentos anti-inflamatórios e fisioterapia.

Dores persistentes nas costas geralmente podem estar relacionadas aos músculos isquiotibiais (grupo de músculos localizados na parte posterior da coxa) tensos e músculos abdominais fracos. Essa dor pode se intensificar pela má postura e carregar uma mochila pesada, por exemplo. Para o tratamento da dor, é recomendado fisioterapia que enfatiza: o alongamento dos músculos isquiotibiais, o fortalecimento abdominal e a correção da postura.

Costas arredondadas

Uma dor comum, que se localiza no meio das costas, esta relacionada com o aumento da curvatura da coluna torácica (cifose de Scheuermann). Essa doença se desenvolve em períodos de crescimento ósseo, como na infância e adolescência. É caracterizada pelas vértebras em forma de cunha que fazem com que a coluna torácica se curve para a frente de maneira progressiva.

Fratura por estresse da coluna vertebral

As fraturas por estresse podem ocorrer em períodos de crescimento acelerado na adolescência ou por prática de esportes, que torcem ou estendem as costas, como ginástica, mergulho e futebol.

Geralmente a dor é menos intensa e pode se espalhar para as nádegas e pernas. Os sintomas podem melhorar com o repouso. Essa condição pode afetar a forma de caminhar da criança, deixando os passos mais curtos e rígidos.

Espondilolistese

A espondilolistese ocorre quando uma vértebra sai do alinhamento normal em relação às outras vértebras. Geralmente ocorre na base da coluna vertebral. A dor pode piorar com a prática de atividade física, quando a criança fica em pé ou está caminhando.

Infecção

Em crianças, a infecção em um espaço discal(estruturas de cartilagem que separam as vértebras) pode levar a dores nas costas. A discite, como é chamada, afeta crianças de 1 a 5 anos, embora crianças maiores e adolescentes podem ser afetados. Os sintomas relacionados a esse problema, são:

  • Dor na parte inferior das costas ou abdômen e rigidez na coluna;
  • Andar mancando;
  • Se agachar com a coluna reta em vez de dobrar a partir da cintura;
  • Febre sem outros sinais infecciosos.

Diagnóstico

O ortopedista da criança vai iniciar o exame com perguntas para entender quais os sintomas do paciente e como a dor se desenvolveu. Algumas perguntas podem incluir:

  • Quando a dor começou? Começou após uma lesão ou atividade exigente?
  • Quais atividades ou posições pioram a dor?
  • Os sintomas melhoraram ou pioraram?

Para ajudar no diagnóstico, é importante o ortopedista saber exatamente onde a dor é sentida, qual a sua intensidade e o quanto ela interfere nas atividades diárias da criança.

Na avaliação física será verificado cuidadosamente as costas da criança, incluindo:

  • Coluna: será analisada cada vértebra a procura de alguma deformidade no alinhamento e na mobilidade. Também é verificada a presença de uma curvatura acentuada nas costas, a capacidade da criança de curvar-se para tocar os dedos dos pés e se inclinar para a direita e esquerda. Dificuldade em algum desses movimentos, pode indicar um problema nas articulações da coluna;
  • Nervos vertebrais: o ortopedista fará testes de elevação das pernas estendidas, teste de elevação da perna reta reversa e testes de reflexos e sensitivos. Esses exames podem ajudar a diagnosticar problemas nos discos intervertebrais (estruturas em forma de anel que evitam o atrito entre as vértebras), que podem causar pressão nos nervos que saem da coluna;
  • Músculos: os músculos das costas e das pernas serão avaliados, qualquer desconforto sentido pelo paciente na avaliação pode indicar uma lesão muscular. Testes de equilíbrio, flexibilidade, coordenação e força muscular podem ser feitos para garantir que não haja um problema maior.

O ortopedista pode solicitar exames de imagens para ajudar no diagnóstico. As imagens de raio-X descartam a presença de fraturas, deslocamentos ou outros problemas nas vértebras. A tomografia computadorizada, exame de raio-X tridimensional da estrutura óssea pode ajudar o ortopedista a entender a anatomia da coluna vertebral. 

Outro exame usado para a avaliação de problemas na coluna são as imagens de ressonância magnética. Podem servir para avaliar a coluna vertebral e os tecidos moles, que não aparecem no raio-X, como a medula espinhal, raízes nervosas, entre outras estruturas.  

Neste texto falamos sobre algumas condições e doenças que podem causar dores nas costas das crianças e adolescentes. 

Se o seu filho sofre com algum dos sintomas que comentamos no texto ou se queixa de dores constantes nas costas que persistem ou se agravam, Marque uma consulta e tenha um diagnóstico e tratamento adequado.

Abrir bate-papo
1
Escanear o código
Olá 👋
Posso ajudá-lo?