Fratura do cotovelo em crianças

As fraturas ao redor do cotovelo em crianças são lesões frequentes, representando aproximadamente 10% de todas as fraturas que ocorrem durante a infância. Geralmente uma imobilização com gesso é suficiente para curar um trauma ósseo simples.

No entanto, alguns tipos de fraturas, como aquelas em que os fragmentos ósseos estão significativamente deslocados (os pedaços de osso ficam desalinhados), podem necessitar de cirurgia. Nesses tipos, outras estruturas da articulação podem ser prejudicadas, como nervos, vasos sanguíneos ou ligamentos e também podem necessitar de tratamento.

Quais os tipos de fraturas do cotovelo?

Existem diversos tipos de fratura no cotovelo, incluindo: 

  • Acima do cotovelo (supracondiliana): é caracterizada pela quebra do osso (úmero) proximal à articulação do cotovelo. É uma lesão comum, que ocorre frequentemente em crianças com menos de 8 anos e pode ser grave devido ao risco de causar problemas na articulação;
  • Placa de crescimento (fise): fratura que afeta a fise, estrutura de cartilagem presente na extremidade do braço e antebraço, responsável pelo crescimento do osso;
  • Antebraço: ocorre uma fratura na parte superior do osso do rádio ou da ulna, causando um deslocamento para fora do lugar; 
  • Fratura exposta: ocorre quando o osso quebrado rompe a pele. Esse tipo de fratura pode causar danos aos músculos, tendões, ligamentos e pode levar mais tempo para cicatrizar, além do risco aumentado de infecção.

Causas da fratura de cotovelo em crianças 

As fraturas de cotovelo em crianças são frequentemente causadas por quedas com o braço estendido, impactos diretos no cotovelo ou quedas diretas sobre o cotovelo. Muitos acidentes ocorrem durante atividades esportivas ou recreativas, quando a criança está brincando em playground infantil. No caso de atividades esportivas, como andar de bicicleta ou skate, o uso de cotoveleira pode diminuir o risco de lesões.

Sintomas 

Os sintomas de uma fratura de cotovelo, podem incluir:

  • Dor intensa no cotovelo e antebraço;
  • Inchaço ao redor do cotovelo;
  • Dormência na mão;
  • Dificuldade de endireitar o braço.

Se o seu filho apresentar algum desses sintomas após uma queda, procure atendimento médico imediatamente.

Diagnóstico da fratura de cotovelo em crianças

Para o exame de uma fratura de cotovelo, o médico avaliará a dor, o inchaço, hematomas, movimentos limitados e mudanças de cor na mão da criança, para determinar a extensão da fratura de cotovelo. Ele também verificará possíveis lesões nos nervos e vasos sanguíneos.

O médico pode solicitar imagens de raio-X para identificar o tipo de fratura, verificando se os ossos estão deslocados ou angulados. Como as crianças ainda estão com os ossos em desenvolvimento, o médico pode requisitar radiografia dos dois braços para comparação.

Tratamento da fratura de cotovelo 

Uma fratura mal alinhada pode resultar em deformidade permanente e limitação da amplitude de movimento do membro. Por isso, é importante que a fratura seja tratada adequadamente no início. A escolha do tratamento varia conforme o tipo de lesão e grau de deslocamento.

Tratamento não cirúrgico 

Para as fraturas estáveis, o tratamento inclui imobilização utilizando uma tala ou gesso para manter o osso alinhado enquanto cicatriza. Fraturas que necessitam ser reposicionadas antes da imobilização, podem ser corrigidas através de uma redução fechada, com anestesia ou sedação. O médico acompanha periodicamente com exames de radiografia para certificar-se de que o osso está cicatrizando na posição correta.

Tratamento cirúrgico 

Quando os fragmentos ósseos estão deslocados, pode ser necessário recorrer à cirurgia para garantir a cicatrização em posição alinhada das estruturas. O procedimento pode incluir:

  • Redução fechada e pinagem percutânea: os fragmentos do osso são realinhados e mantidos no lugar com pinos. Uma tala é colocado no braço para imobilizar e garantir a cicatrização; 
  • Redução aberta e fixação interna: este procedimento se destina a fraturas expostas, aquelas que não podem ser alinhadas com uma redução fechada e fraturas associadas a lesões nervosas ou vasculares.

Como é a recuperação de uma fratura de cotovelo?

Após as partes do osso fraturado estarem realinhadas, o braço será imobilizado com gesso ou tala, por um período que pode variar entre 3 a 6 semanas, dependendo do tipo de fratura. 

Quando a lesão estiver cicatrizada, o médico pode prescrever atividade física para a recuperação da mobilidade do cotovelo. Na maioria das situações, o movimento do cotovelo retorna ao normal ou apresenta apenas pequenas restrições que não irão atrapalhar a vida da criança. 

O mais importante para uma boa recuperação de uma fratura de cotovelo é levar a criança imediatamente ao pronto-socorro, para receber o diagnóstico e tratamento adequado.

Ficou com alguma dúvida? Agende uma consulta com o Dr.João Pedro – Ortopedista Infantil para um diagnóstico seguro e o tratamento mais adequado para o seu filho.

Abrir bate-papo
1
Escanear o código
Olá 👋
Posso ajudá-lo?