Instabilidade patelar ou luxação da patela

Normalmente, a patela da criança está no seu lugar adequado, centralizada entre o fêmur e a tíbia. Ao dobrar e esticar o joelho, ela acompanha o movimento realizado.

Na luxação patelar, a patela (antigamente chamada de rótula) da criança se desloca de forma forçada para o lado devido a uma batida,  mudança de direção na corrida ou queda forte, podendo causar um deslocamento total ou parcial. 

Nesses casos, pode-se ter dor e dificuldade para realizar alguns movimentos. Caso isso ocorra, é importante a avaliação de um especialista mesmo que a rótula volte ao lugar naturalmente. Ele irá realizar exames para comprovar que não houve maiores danos na articulação.

Causas da Instabilidade patelar

Existem alguns motivos que podem causar um deslocamento da patela por existir um defeito na formação do joelho como:

  • Um sulco (lugar onde a patela se aloca) raso, pode causar esse deslocamento mais fácil.
  • Ligamentos mais frouxos no joelho facilitam a luxação da patela.
  • Crianças com paralisia cerebral ou síndrome de Down podem sofrer com esse problema, pois têm alterações ósseas, de ligamentos e tendões que facilitam a luxação. 
  • Em casos mais raros a criança já pode nascer com problema na patela e isso causa luxações congênitas.

Nas atividades esportivas pode ocorrer a luxação patelar por receberem um grande impacto ou caírem sobre o joelho, causando esse deslocamento. Acontece, de forma mais comum, na prática de esportes de alto impacto, como o futebol.

Sintomas 

Alguns sintomas a destacar vão depender da situação e gravidade do deslocamento, mas pode ocorrer:

  • Dor;
  • Sentir a patela sair do sulco do fêmur;
  • Ouvir um som de estalo ao flexionar o joelho;
  • Inchaço;
  • Joelho apresenta deformidade.

Diagnóstico

O ortopedista deverá fazer perguntas sobre como ocorreu o deslocamento, analisar o movimento do joelho e a sua deformidade.

Exame de raio-x será necessário para verificar a patela e se há algum problema com o sulco do fêmur. Outro exame de imagem que o ortopedista pode pedir, é a ressonância magnética, mas só em casos em que ele precise de imagens mais detalhadas do local.

Tratamento 

Se ocorrer o deslocamento da patela de seu filho, você deve levá-lo imediatamente para a emergência. O médico poderá fornecer analgésicos para relaxar os músculos e, após, aplicar força controlada para colocar o osso no seu lugar, esse processo é conhecido como “redução’’.

Tratamento não cirúrgico

  • Imobilização com um brace para que o joelho se recupere, em torno de 3 a 4 semanas.
  • Recomendação de uso de muletas para evitar ao máximo fazer força com a articulação, podendo afetar a recuperação.
  • Fisioterapia, para fortalecer a musculatura da coxa, mantendo a articulação do joelho no lugar.

Geralmente a recuperação do problema leva de 3 a 6 semanas e a criança pode voltar às atividades normalmente após esse período.

Mesmo após a recuperação a patela se torna mais instável e pode se deslocar novamente, isso porque os tecidos moles ficam danificados. Manter exercícios regulares como andar de bicicleta, pode fortalecer os músculos e evitar uma nova luxação.

Tratamento cirúrgico

O tratamento cirúrgico da luxação da patela será recomendado pelo ortopedista infantil caso seu filho sofra com inúmeros deslocamentos ou quando os tratamentos tradicionais não solucionarem mais o problema.

A cirurgia consiste na reconstrução dos ligamentos que mantêm a patela no seu lugar. Podendo ser feito por artroscopia, usando uma câmera e pequenos instrumentos cirúrgicos ou por incisões maiores na pele. 

Se o problema for repetitivo, por existir uma deformidade no sulco do osso do fêmur, o procedimento cirúrgico é mais complexo.

Em caso de instabilidade patelar ou uma luxação da patela em seu filho, é importante que você o leve até o ortopedista infantil, para receber o diagnóstico e tratamento adequado. Em casos de dúvidas você pode agendar sua consulta agora.

Abrir bate-papo
1
Escanear o código
Olá 👋
Posso ajudá-lo?