Torcicolo Muscular Congênito

O torcicolo muscular congênito ocorre quando a criança possui o músculo da lateral do pescoço (esternocleidomastoideo) tenso e encurtado, causando uma inclinação lateral da cabeça e dificultando a realização do movimento para o lado oposto.

Na grande maioria dos casos, o encurtamento muscular do pescoço em bebês pode ser tratado gradualmente, com o auxílio de exercícios de alongamento e mudanças na forma de segurar e posicionar a criança.

Causas do Torcicolo Muscular Congênito

O torcicolo muscular congênito está presente no nascimento do bebê, mas pode ser percebido nas primeiras 6 a 8 semanas de vida, período que a criança começa a desenvolver controle sobre a cabeça e o pescoço.

Ocorre geralmente pelo mau posicionamento do bebê no útero. A tensão gerada na musculatura da lateral do pescoço, causa microlesões no músculo e, conforme ele cicatriza, desencadeia o encurtamento e a rigidez do tecido.

Os primogênitos possuem maior chance de desenvolver o torcicolo muscular congênito, pois em muitos casos o útero é mais estreito na primeira gravidez. Bebês pélvicos e gemelares também têm maior chance de desenvolver a doença. Infelizmente, não há prevenção para evitar as causas deste problema.

Sintomas do Torcicolo Muscular Congênito

Os sintomas em bebês com este problema, podem incluir:

  • A cabeça se inclina para um lado e o queixo aponta para o ombro oposto. Em 75% dos casos o torcicolo ocorre no lado direito;
  • Limitação no movimento da cabeça para os lados, para cima e para baixo;
  • Na primeira semana após o nascimento pode ser visto um caroço na musculatura do pescoço do bebê, que geralmente desaparece antes dos 6 meses;
  • Um lado do rosto do bebê pode ficar achatado, pois a criança sempre dorme com a cabeça na mesma posição.

Diagnóstico

Na presença dos sintomas que citamos acima, principalmente se os pais notarem que o bebê mantém a cabeça inclinada apenas para um lado, faz-se necessário a consulta com um ortopedista pediátrico.

O diagnóstico inicia com um exame físico, para a identificação dos sintomas do torcicolo muscular congênito. Testes de imagens, como raio-x e ultrassonografia também podem ajudar na averiguação desta contratura.

Tratamento

Tratamento não cirúrgico

O tratamento tradicional para o torcicolo muscular congênito consiste em exercícios para alongar o músculo do pescoço, incluindo virar o pescoço do bebê de um lado para o outro.

Os exercícios passados pelo ortopedista pediátrico devem ser repetidos várias vezes ao dia. O acompanhamento fisioterápico em conjunto também é indicado.

Tratamento cirúrgico

O procedimento cirúrgico só é recomendado nos casos onde o tratamento conservador não traz melhoras na musculatura do pescoço da criança.

O número de pacientes que necessitam do procedimento cirúrgico é baixo. Quando se faz necessário, a cirurgia é geralmente realizada no período que a criança atinge os anos pré-escolares, após 24 meses de vida. 

A operação consiste em alongar o músculo lateral do pescoço (esternocleidomastoideo) e normalmente é realizada em Hospital dia, ou seja, a criança pode ir para casa no mesmo dia. 

Ficou com alguma dúvida sobre o torcicolo muscular congênito? Marque uma consulta.

Abrir bate-papo
1
Escanear o código
Olá 👋
Posso ajudá-lo?